Antes de passar o Estado para Doria, França comemora redução dos índices de violência em SP
No próximo dia 1º, Márcio França que era vice de Alckmin transmite o seu cargo ao governador eleito pelo PSDB, João Doria/Foto: Divulgação
Governo do Estado de São Paulo ( Detran )

O Estado de São Paulo registrou nos últimos 12 meses os menores índices de violência da série histórica, iniciada em 1995. Na avaliação do governador Márcio França, esses resultados foram possíveis “graças à dedicação e ao espírito público dos 111 mil policiais civis e militares paulistas”.

A taxa de homicídios, por exemplo, caiu para 6,83 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Isso significa que São Paulo tem menos mortes violentas que cidades como Miami (11,57), Washington (16,15) e Chicago (24,07).

Na média dos demais estados brasileiros o índice de homicídios fica acima de 26 para cada grupo de 100 mil habitantes. Ou seja, no Estado de São Paulo o risco de se morrer assassinado é quase 400% menor que nos demais estados brasileiros.

Mas, a queda aconteceu em todas as modalidades de crime pesquisadas. Em todo o Estado aconteceu apenas um roubo a banco em novembro, o que representou uma redução de 86% em relação a novembro de 2017.

No passado, São Paulo teve picos de até 40 ocorrências do gênero em um único mês. Os casos de estupro caíram 28,2% em um ano, o roubo de cargas 16,2%, o roubo de veículos 9%, o furto de veículo 8,4%, o estupro de vulnerável diminui 5,10% e o roubo seguido de morte 4,2%.

Em parte, esses resultados foram possíveis com o aumento da produtividade policial. Em apenas 30 dias, 15.496 pessoas foram presas no Estado, o que significa mais de 500 prisões a cada dia. Nesse período, 1.011 armas de fogo foram retiradas das ruas e 3.660 flagrantes de tráfico de drogas foram efetuados.

“Em resumo: entregamos aos paulistas um Estado mais seguro, prova de que a política de Segurança Pública que adotamos estava correta”, conclui o governador que em abril deste ano assumiu o comando do governo do Estado, pois o então governador Geraldo Alckmin (PSDB) deixou o Palácio dos Bandeirantes para concorrer (e perder) a presidência do Brasil.

No próximo dia 1º, Márcio França que era vice de Alckmin transmite o seu cargo ao governador eleito pelo PSDB, João Doria que derrotou França no 2º turno da eleição deste ano, eleição que foi uma das mais disputadas da  história do Estado.