Já começou a contagem regressiva para que o governador do Estado de SP, Geraldo Alckmin (PSDB), deixe o cargo para iniciar a sua campanha eleitoral à presidência do Brasil. A data destaca pela imprensa de São Paulo é o dia 7 de abril  – falta portanto menos de um mês para que Alckmin passe o comando do Estado ao seu vice, Marcio França (PSB).

 

Com tempo correndo contra, Alckmin estaria fazendo manobras politicas, administrativas e financeiras para conseguir entregar nas próximas três semanas o maior número de obras possível e dessa forma reforçar o seu legado como gestor e fazedor de obras.  O jornal Folha de São Paulo destacou nesta quinta-feira que o governador esta buscando recursos externos (cerca de R$ 760 milhões) para finalizar projetos, especialmente obras na área do transporte coletivo; no caso trens da CPTM e Metrô.

 

De acordo com as informações da Folha de São Paulo, Alckmin e sua equipe já teriam definido um pacote com cerca de 15 ações e projetos de grande visibilidade que deverão ser entregues/inaugurados até o dia 7 do mês que vem. Não chega a ser novidade o fato de que na lista de possíveis entregas que Alckmin quer fazer antes de partir à campanha eleitoral, não constar nenhuma obra ou projeto executado ou em execução na região do Alto Tietê.

 

Se a lista de entregas publicada no site da Folha de São Paulo for a definitiva então as lideranças politicas do Alto Tietê já podem comemorar ou protestar (isso de acordo com os interesses políticos/partidários) o fato de que o governador tucano já ‘fez tudo ou já entregou tudo o que podia’ às cidades do Alto Tietê.

 

Nos próximos dias o Jornal Oi vai destacar as pendências do governo do Estado (no caso de Alckmin) com as cidades do Alto Tietê e, automaticamente, chamar a atenção para os desafios que Marcio França terá de assumir e resolver, a partir do dia 7 de abril em relação a essa região.