A Arte de ser eterna criança
Sempre tenha a essência de uma criança, mesmo sendo adulto; aquele coração doce e puro/ Foto: Divulgação

Quando criança, sempre sonhamos em ser adulto. Não imaginávamos as responsabilidades que nos esperava, apenas queríamos ser grande para poder sair, dirigir, ter independência.
Mas aí o tempo passa tão rápido que de repente nos deparamos com a maioridade e começamos a cair na real de como era bom ser criança.

Não que a vida adulta não seja boa, mas veja, quando criança não precisava pensar em trabalhar para ganhar nosso sustento, não guardávamos mágoas, pois não víamos maldade em nada, não precisávamos decidir em quem votar. Enfim, ser criança é bom demais.

Todo dia 12 de outubro, comemoramos o “Dia das Crianças” e como este dia está perto, comecei a refletir sobre o tema e já que este dia foi criado para ajudar a conscientizar as pessoas sobre os cuidados necessários durante esta fase da vida, achei interessante reforçar aqui neste artigo e manifestar meu desejo de que as pessoas cuidem melhor das nossas crianças, com mais carinho, mais amor, mais paciência para ensinar para que assim possamos ter adultos melhores.

Muitas vezes temos que olhar as coisas com o olhar de uma criança, um olhar sincero, colorido e fazer com que os nossos mais profundos sonhos se tornem realidade. Sempre tenha a essência de uma criança, mesmo sendo adulto; aquele coração doce e puro, que tem uma fé inabalável, que destrói fortalezas, vence exércitos, que sabe quebrar a soberba do homem com seu puro amor. Que acredita nos outros independente de sua situação.