Dentre várias frases que chamaram a atenção, muitas vindas do Cabo Dacciolo, o candidato pelo PDT, Ciro Gomes prometeu "pagar as dívidas das 63 milhões de pessoas que estão com seu nome no SPC/ Foto: THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Prefeitura de Guararema 360º

Na última quinta-feira tivemos o tão aguardado primeiro debate entre os candidatos à presidência. Dentre várias frases que chamaram a atenção, muitas vindas do Cabo Dacciolo, o candidato pelo PDT, Ciro Gomes prometeu “pagar as dívidas das 63 milhões de pessoas que estão com seu nome no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)”.

Apesar de ser uma jogada de marketing-político muito hábil, vou me atentar apenas à questão econômica dessa proposta.

Em junho o SPC divulgou um aumento de 2,78% no número de pessoas endividadas, totalizando 63,4 milhões de pessoas. O maior aumento da inadimplência, de 7,7%, se deu nas contas de serviços básicos, como água e luz. Na sequência, com alta de 6,9%, aparecem as dívidas bancárias, incluindo cartão de crédito, cheque especial, empréstimos, financiamentos e seguros.

Esse aumento se dá em grande parte pelo crescimento do desemprego e da resistência dos bancos em baixar os juros cobrados do consumidor, mesmo com uma queda na taxa básica de juros, a SELIC.

Mais da metade desses inadimplentes tem entre 30 e 49 anos. São pessoas em plena idade produtiva, tendo sua capacidade de consumo parcialmente bloqueadas por causa de terem seus nomes no SPC.

Estimei que a dívida total dessas 63,4 milhões de pessoas chega à aproximadamente 100 bilhões de reais. Para comparar, entre 2011 e 2018 o governo federal cedeu 458 bilhões de reais em desoneração de impostos para empresas.

Desbloquear parte dessas pessoas para poderem consumir é abrir espaço para que o Brasil possa ter um aumento da demanda por bens e serviços e consequentemente da atividade econômica, o que gera mais emprego e renda.

A ideia é boa e traria grandes benefícios para a economia, mas a engenharia financeira para esse feito é extremamente complexa. Isso o candidato Ciro Gomes precisa explicar melhor.